sábado, 18 de fevereiro de 2017

O mendigo pregador

Capitulo 3 Final

Ola. Não sou o mendigo pregador que escreve nesse caderno mais. Sou o amigo dele. Não se assuste, mas ele não morreu ou está doente. E sim está muito bem. Me deixou a Bíblia que foi do pai dele e partiu com o casal que deu o este caderno a ele. Ele um dia ia escrever mais sobre suas memorias, mas o casal veio falar com ele e pegar o caderno e devolver depois de um dia. E ele entregou. No outro dia vieram eles, emocionados, com um sorriso no rosto, ele não entendeu a reações dele, mas comentou comigo: " Acho que se emocionaram com a minha historia, mas é nada demais." Eu olhei para ele e fiz sinal de não. Pois eu mudei por causa dele. Eu comecei  ater coragem de ir atrás dos meus familiares e pedir perdão, estava arrependido de verdade, e fiz uma promessa a mim, e a Deus que eu ia mudar.
Não tive tempo de dizer isso pois os jovens perguntaram a ele certas coisas, que parecia que só ele sabia. Assustado ele começou a chorar e pegar suas coisas. O casal me deu o caderno chorando e disse: " Escreve ai que aconteceu e que vamos contar. E use esse caderno para os outros que estão na rua, inclusive você. Mostre o que aconteceu com o "mendigo pregador" e pode acontecer com qualquer um. E nos somos os filhos da moça que ele ama, e nossa mãe depois da morte do nosso pai, anos mais tarde nos disse sobre ele, nunca o esqueceu, a amizade e anos mais tarde a descoberta do amor que ela tinha por ele, e quis procura-lo mas ela soube o que houve com ele e com a doença que ela tem não permitiu procurar ele, e nos resolvemos procurar ele. Com ajuda e apoio dos familiares  e amigos dele da cidade que ele e minha mãe moravam, contratamos um detetive que encontrou ele aqui nessa cidade grande. E viemos busca-lo, e para ter certeza que era ele fizemos essa do caderno e confirmamos e vamos leva-lo para ver minha mãe e os que espera ele na cidade deles. Pois estamos morando la, nossa mãe quis assim achando que ele ia voltar para antiga casa dele e assim ate agora não aconteceu. Por favor escreva sua historia e compartilha esse caderno."
Quando eu escutei isso concordei e afirmei que ia fazer, e a promessa que eu fiz, me fez agir também, chorando despedi dele, do "mendigo pregador", o frade na porta da Igreja viu e sorriu e estava emocionado. E assim eles foram embora. Eu peguei e fui na Igreja e procurei o frade e fiz uma pergunta: "Ola, Frade o senhor viu?". Ele me respondeu com sinal de cabeça que sim, e ele colocou a mão no meu ombro chorando e disse: " Eu conhecia ele, quando ele tentou ser frade e viu que não era isso que Deus queria pra ele, só que ele não lembrou de mim, e sabia que ele passava e amava, e todos esses anos insisti ele fala o motivo dele estar nas ruas e assim chorando me conto sua historia, e eu falei nada. Quando veio um detetive perguntando dele aqui, pois ele já tinha uma ideia que ele poderia estar aqui eu ajudei ele e mostrei de longe. E assim o detetive levou a informação aos dois. Dei uma força ele, a mãe deles esta muito doente, e a família dele e os amigos estavam perdendo a esperança de encontra-lo vivo e Deus mostro a eles que ele ta bem vivo e ajudando os outros mesmo sendo um mendigo, assim como ele me disse um dia." O frade saiu e eu fiquei na Igreja e fiz uma reza e oração, os outros mendigos souberam disse e foram também, e ate os mendigos que não acreditava em Deus e os outros que eram de outras religiões fizeram o Pai Nosso e a Ave Maria , para nosso amigo que nos deu esperança, o: "O mendigo pregador".

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Um conto de terror 2

A casa  mal assombrada continua....

Um dia chuvoso, uma moça  na estrada esta com o carro quebrado procura ajuda para alguém arrumar-lo. Ela decidi procurar uma casa. Em contra um sitio, e nele uma casa da época dos escravos. No portão encontra um aviso: Cuidado quem ousou entrar aqui nunca saiu o mesmo. Aqui a verdade se mostra, e gera dor.
Ela ignora esse aviso e entra.  Ela avista a casa e vê luzes acesas.  Bate na porta e nada. Ela desisti ao virar as costas e dar dois passos a porta se abre. Ela se vira e uma menina de olhos claros pergunta:
_ Ola, pois não?
_ Oi, tudo bem? Olha meu carro esta quebrado e estou sem sinal no meu celular, posso entra aqui e ligar para alguém? Vocês tem telefone ou celular não é?
_ Sim, eu tenho um telefone.
_ Que bom, posso? E você disse só você, está sozinha?
_ Sim, só eu moro aqui.
_ Como assim? Quantos anos você tem?
_ Tenho 10 anos.
_ E mora só? Cade seus pais?
Um silencio fica, a menina aponta para o celular e sai. A moça não entendi, mas ela estava muito mais preocupada com o carro que com a menina solitaria, mnão impedia de ver que ela parecia alguém que ela conhecia e estava ali só. Ela pensou em ligar primeiro e depois levar  a menina. Ela entra na sala e vai no telefone antigo, e liga alguém atende e fala que seu carro está quebrado e precisa de concerto e esta num sitio ela vira e pergunta o endereço a menina, mas a porta está fechada e a menina não está mais na sala. Ela vê uma carta antiga e o no envelope o endereço da casa e diz ao moço do guincho e com espanto ele diz:
_ Meu Deus não tem casa nenhuma ai nesse lugar.
_ Como? Tem sim e tem uma menina aqui.
_ Não tem moça, me fala aonde está o carro e vá la e me espera, e digo e repito não tem casa ai, você se confundiu.
O telefone corta a ligação ela diz:
_Alô? Alô , alô.
Ela se espanta e em um piscar de olho, a casa novinha parece velha e ela, se assusta e sai correndo para a porta da sala que estava aberta, mas ela fecha e bate  na porta e cai no chão. Ela sente algo duro e pequeno, ela ve ossos de bebe ao chão, vê frascos de remédios que ela se lembra de ter usado uma vez. E uma voz diz:
_ Mamãe, mamãe? Se lembra de mim?
Ela levanta e grita. Bate na porta e grita por socorro e nada, a voz dela diminui e a baterna porta ela sente dor na garganta, é como se a batida na porta estava era batendo na própria garganta. Ela ouvi um choro de bebe. E uma lembrança vem a mente dela. Cenas dela aos 16 anos drogada, e decidiu fazer um aborto da sua filha para atingir seu namorado e seus pais. Ela chora. A Menina volta e diz:
_ Mamãe? Porque? O que eu te fiz?
A mulher chora, e ajoelha. Sem voz ela faz sinal de que está arrependida e pedi perdão. A menina sorri e some. A casa também, e ela vê o envelope e está escrito abra.
Ela pega e e abre e nela tinha uma carta escrito:
  Cuidado quem ousou entrar aqui nunca saiu o mesmo. Aqui a verdade se mostra, e gera dor. E a sua dor for ter tirado a vida de um anjo e não se arrependeu disso até agora, você ja foi perdoada por ela, mas você deve se perdoar agora.

E ela pega a carta e guarda e volta ao seu carro  e o guincho a esperava.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

A Garota perfeita

Capitulo V

Patrizia chega no local, e antes não encontra e de longe vê ele sentado no banco, esperando ela todo tímido mechendo suas pernas ele a vê e diz:
_ Ola! - com um sorriso.
_ Ola, esperando a muito tempo?
_ Não, quis chegar primeiro, hehehee!
_ Gostei disso, coisa de cavaleiro hein! heheeh
_ Sim, eu sou né!
_ Raro encontrar uai!
_ Sim, mas não sou tão cavaleiro, tento ser. - ele sorri.
Ela sorri. Ela senta ao lado dele e da um abraço e um bjo no rosto. Ele fica vermelho na hora, ela percebe e começa a rir.
Ele meio irritado, pergunta:
_ O que foi - em uma expressão seria.
_ Nada você ta vermelho como um pimentão.
_ Não é para tanto, desculpa meu comportamento.
_ Sem problemas - e ela ri mais.
Ele só da um sorriso. Então se falam um pouco sobre o que fizeram no dia. Ele faz um convite:
_ Vamos ao cinema agora? Tenho dinheiro aqui para nos vermos um filme, me desculpa mas a pipoca só você vai poder comer, pois não como quando vou ver filme.
_ Okay pode ser.
Eles levantam e começa a andar, mas ela se assusta. Ela ve um casal e ele olha para o casal e a ela e pergunta:
_ O que houve?
Ela fica em silêncio e depois fica triste...

O mendigo pregador

Capitulo dois


Depois que comecei a me habituar a vagar por ai pedindo e recebendo vários não, chingos e poucos sim. Parei em uma cidade grande, e nela comecei a morar numa praça que tinha uma bela Igreja. Vi a missa e como era católico, mas não tão praticante senti a necessidade de ver a missa as vezes. E assim fui la e conversei com o padre, que a minha sorte era um frade franciscano e me deixou ver a missa e me deu uma bronca pois, ele disse que todos padres deixam, mesmo eu estando na condição que estou.
Na praça fiz amizades. Uma delas, era um homem, que disse que perdeu sua vida por causa das drogas e festas, que chegou a roubar dos pais e irmãos e viu que estava no fundo do poço e assim procurou tratamento e conseguiu se livrar da drogas, mas a vergonha dele foi tanta que não quis volta logo para a casa e assim passou a ser um mendigo. Me viu sentado e pedindo e falando os versículos da Bíblia e assim passou a me chamar de: O mendigo pregador.
Ele percebeu que eu ainda tinha meu celular e me perguntou por que ainda tinha ele e como não me ligaram. Respondi a ele que guardei o chip. Gostava de escutar as musicas que tinha e ver as fotos que tinha nele, que eram imagens de Santos, fotos dos meus pais, amigos, as paixonites que tive e da moça que eu amava.
Com o passar dos anos o meu celular ainda funciona, mas ta muito velho, e por milagre ainda funciona, eu e outros mendigos estamos vendo a missa pela porta, alguns ate vão comungar, o frade tenta descobrir sobre mim a cada missa que eu vou, mas eu falo pouco e ele me vira e fala:
"Tenho paciência e um dia você vai falar, tenho fé em Deus que alguém, ou quero dizer muitos se lembra de você. Assim como Deus não esquece." Ele aponta o dedo em meu coração.
Sim de fato ele tem razão, Deus me livrou e livra os meus amigos de varias, sinto a presença Dele ao meu lado mesmo sendo um pecador e mendigo, e sinto a presença da Virgem Maria, sinto cheiro de rosas quando rezo e oro antes de eu dormir.

O mendigo pregador

Capitulo Um

Não sei como vou começar, mas um jovem casal que me deu esse caderno, me disse para começar o que aconteceu para eu estar aqui.
Lembro que depois da morte da minha mãe aos 74 anos e do meu pai 7 meses depois dela aos 70, me abateu a doença que ela tinha, uma depressão, mas não era forte, e na época estava trabalhando não lembro aonde e em que, sai do emprego e tímido não consegui  arrumar outro trabalho e a minha tristeza aumentava e alguns amigos e parentes que eram muito próximos me ajudaram, e não tinha conseguido namorar e casar, só os rolos e foram poucos, e quem eu amava não estava mais na minha cidade, tinha mudado para uma cidade grande, de uns 500 mil habitantes ou mais, e acabou a faculdade la e soube na época que ela tava namorando um rapaz gente boa e do bem e estavam planejando casar, isso foi a irmã dela e a prima que me disseram quando me viram na praça no centro da minha cidade. Depois de um tempo que soube disso, a depressão minha teve um auge que decidi vender a casa e não vendi o sitio que estava dando uma renda depois que deixei por porcentagem aos meus primos da roça. Meu contrato tava acabando, e pediram para renovar e eu disse que ia pensar, mas ja estava decidido a fazer. Peguei a chave da minha casa fiz 3 copias e entreguei 2 a dois amigos e uma ao um primo de segundo grau que era alem de parente um amigo, e ele sentiu algo, mas disfarcei, peguei umas economias no banco, dinheiro guardado de anos de trabalho e do sitio e assim me despedi dos amigos e parentes, todos, falei que ia viajar mais iria voltar rápido. Mas era mentira. Fui primeiro na cidade da moça que me eu amava, e tinha pegado o endereço com a irmã dela e assim chegando la, vi ela e seu noivo de longe, e escondido levei meu pesamento a Deus e deixei minha oração e reza a ela e depois que terminei ela olha na direção que eu estava e da um sorriso, depois fica triste e em duvida e começa a dar passos a minha direção, então eu corri.
Parei em frente a uma lanchonete e pedi um refrigerante, e tomei. Fui na rodoviária e viajei a varias cidades, ate que o dinheiro chegou no ponto que eu queria.
Comprei uma mochila, uma pasta de dente, uma escova de dente, um pente, um bom tênis, meia, uma calça, uma camisa, e uma blusa e peguei a Bíblia que deu ao meu pai e eu estava carregando e assim como gostava de São Francisco de Assis, fiz uma oração e reza e pedindo a ele proteção junto a Deus e a Virgem Maria, comecei a andar, aonde eu ia pedia comida e a cada pedaço de pão que pedia e ganhava eu dava a pessoa uma leitura da Bíblia e quando não ganhava também, e pedia a pessoa se ela tivesse lendo um jornal para eu depois eu ler.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Caos! IX

Caos! IX

Ano 2032

Outubro


Estou ferido! Acho que vou morrer, a moça que estava comigo, me traiu!
No começo do mês, tivemos uma discussão, e meu jeito intolerável acabei fazendo coisas erradas.
Não vou falar as coisas erradas, contarei se eu sobreviver....
Estou muito ferido, agora que consegui ter um tempo de escrever nesse "mensario"....